CASA VOGUE EXPERIENCE: 4 DESTAQUES DA EDIÇÃO 2019



Encerrou, no ultimo domingo, 27, a quinta edição do Casa Vogue Experience, e A CASA selecionou 10 destaques da mostra, que trouxe mais uma vez o conteúdo da revista para experiências ao vivo e a cores, com uma programação diária de palestras, workshops, entrevistas e outras vivências com alguns dos maiores expoentes de décor, design, arquitetura, paisagismo, arte, moda, gastronomia e bem-estar do país. Confira à seguir:


1. O ESPAÇO

Um casarão da década de 1950 todo decorado com o olhar e o apuro estético da equipe da Casa Vogue, no coração do Jardim Europa, em São Paulo. São 1.800 m² distribuídos em dois andares e 15 ambientes com os mais belos móveis, objetos, obras de arte, cores e revestimentos, onde os ambientes ganham força ao combinar lançamentos de primeira grandeza do design (nacionais e internacionais) à peças vintage e obras de arte.




2. MARCELO ROSENBAUM

Como criar iniciativas na floresta amazônica sem destruir o meio ambiente? Essa foi a grande questão que norteou a palestra “Amazônia Sustentável”, apresentada por Marcelo Rosenbaum, que ressaltou a enorme diversidade étnica presente no solo brasileiro e também indagou o público sobre tudo o que deveríamos aprender com nossos ancestrais. “Ainda existem pessoas vivendo exatamente como há 30 mil anos atrás, preservando a floresta e convivendo com ela na nação criada e chamada Brasil”, provocou.  Durante a conversa, o designer apontou outras formas para além do extrativismo que fazem da Amazônia um polo criativo também para o design sustentável. Como exemplo, apresentou a coleção Esse Dito Bicho, feita em parceria com índios da região do baixo Rio Negro, onde muitas famílias no baixo Rio Negro vivem do corte de madeira de manejo. “Eles têm uma vocação e um saber que não são reconhecidos e valorizados. O conhecimento, a critividade e a fantasia da cultura indígena é a nossa maior riqueza”.




3. REGINA MISK

Agulha, linha e um mundo de possibilidades. Das mãos e mentes que se dedicam ao tricô podem nascer as mais variadas – e lindas! – peças. A seguir, confira três bons motivos elencados pela designer para você também começar a fazer tricô agora mesmo!


Produtos exclusivos Regina afirma que, atualmente, as pessoas desejam exclusividade. Não querem comprar aquilo que todo mundo tem. Nesse sentido, as peças feitas à mão são sempre únicas: nunca há duas exatamente iguais.


Prazer em fazer “Não apenas o tricô, mas também o macramê, tear, crochê… Todas estas atividades trazem prazer”, “Faz bem para a cabeça  para o espírito”, explica Regina.


Resgate de técnicas milenares “Eu fui uma exceção, mesmo na minha geração – minha mãe e minha tia faziam tricô. Mas muitas pessoas hoje em dia não sabem fazer. Isso se perdeu”, diz Regina. Por isso, se dedicar a esse tipo de técnica é uma forma de resgate às práticas culturais.





4. LANÇAMENTOS PORTOBELLO

Patrocinadora oficial do evento, a marca apresentou diversos revestimentos aplicados nos ambientes.



2 visualizações0 comentário